Ana e Marcos

Meu nome é Ana, e eu sou a favor do feminismo, porque desde criança escuto a famosa frase “você não pode porque é mulher”. Eu não podia brincar na rua, porque eu ia ralar meu joelho, e isso não é coisa de mocinha. Eu não podia correr nas festinhas, porque eu estava usando saia, e isso não é coisa que menina pode fazer. Eu não podia jogar futebol com meu irmão, ou jogar videogame, porque essas coisas são brincadeiras de menino.

Nos dias de hoje, eu continuo escutando muita coisa do tipo, só que o nível aumentou. Eu não posso fazer tanta coisa sem ser julgada de puta ou piranha, sem ninguém dizer que é falta de rola… Mas o Marcos pode, Marcos trabalha comigo, e vejo bastante privilégio em ter um orgão genital masculino.

Quando eu era pequena, minha mãe disse que eu teria que tomar cuidado com os garotos, porque você sabe, garotos agem por impulso, eles não têm responsabilidade, então é melhor eu prevenir tudo isso. Entretanto, quando Marcos era pequeno, ninguém disse a ele que devia respeitar a mulher e sua opinião, seu pai disse que era pra pegar todas e aproveitar o máximo.

Eu não posso querer encher a cara numa sexta a noite, não posso falar de masturbação livremente, não posso voltar tarde de uma festa, Marcos pode, ele pode isso tudo, porque ele é homem.

Quando Marcos foi promovido na mesma empresa que eu trabalho, todos o elogiaram, e disseram que ele é muito talentoso. Porém, quando eu fui promovida no mês anterior, todos olharam torto para mim, e disseram que eu deveria ter dado algum “agrado” ao meu chefe. Quando Marcos pegou um táxi sozinho de madrugada, e o taxista falou que ia pegar um outro caminho devido ao engarrafamento, Marcos ficou puto, porque pensou que ele só estava fazendo isso para pegar mais dinheiro. Quando isso aconteceu comigo, eu estava apavorada com medo de ser estuprada no meio de qualquer mato por aí.

Quando Marcos fez um mochilão pela América do Sul com seu amigo, todos falaram que ele tinha um espírito aventureiro, e que devia seguir em frente. Quando eu comentei que queria viajar com uma amiga, todos ficaram espantados e me perguntaram como eu tinha coragem de viajar assim nessa violência “sozinha“.

Quando Marcos engravidou a namorada, ele disse que não tinha tempo na vida dele para criança, e não poderia estragar sua carreira assim, ele abandonou seu filho, ninguém falou nada. Quando eu tive uma gravidez inesperada, e comentei que pensava em aborto, todos me crucificaram, e me chamaram de monstro por querer tirar a vida de uma criança. Por que ninguém perguntou ao Marcos como ele tinha coragem de abandonar o filho?

Por que Marcos teve tantos privilégios e liberdade desde criança em sua vida?  Será mesmo que um pênis faz tanta diferença assim?? Não entendo essas diferenças desde que sou pequena, nunca vi tanta diferença assim entre eu e Marcos. Somos dois seres humanos, que gostamos de curtir a vida, que gostamos de liberdade e respeito. Acho que a sociedade não nos enxerga assim não.

-G.F

Advertisements

2 thoughts on “Ana e Marcos

  1. Fatima says:

    A cada dia seus textos ,estão mais perfeitos.

    Obs: Giovanna vc não pode falar certas coisas pq é menina,diferente do seu irmão que é homem e pode tudo que não tem problema.
    😂😂😂😂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s